21 de maio de 2014

As erupções solares - Segurança em cenários de desastre natural

A sua segurança - Explosão solar
Explosão no sol - Uma gigantesca ejeção de massa coronal é projetada no espaço
© User: Originalwana  / Wikimedia Commons / CC-BY 2.0
Em 10 de Março de 1989, uma explosão semelhante à que pode ser vista na imagem acima ocorreu na superfície do nosso sol. Essa explosão originou uma ejeção de massa coronal, com um tamanho equivalente a cerca de 36 Terras, e que nesse momento iniciou a sua viagem em direção ao nosso planeta, a mais de 1.500.000 Km/h.

Na noite de 12 de Março, o campo magnético da terra foi atingido e grande parte dos habitantes do hemisfério norte, como por exemplo na Escandinávia, Reino Unido, Canadá e Estados Unidos, foram presenteados com magníficas auroras boreais. As mesmas chegaram a ser visíveis em latitudes muito mais a sul, em locais extremamente improváveis, como por exemplo nos estados do Texas e da Florida. E em quase todo o planeta, o céu noturno ganhou um estranho brilho avermelhado. O acontecimento foi tão invulgar, que muitos pensaram que as estranhas luzes no céu  poderiam ter a sua origem no início de um conflito nuclear entre os EUA e a URSS, na altura ainda em plena Guerra Fria.

Mas as auroras não foram a única consequência da tempestade geomagnética que estava em curso. Vários satélites de comunicações (então em muito menor número do que nos dias de hoje) sofreram avarias, e até mesmo a tripulação do Space Shuttle teve problemas com diversos aparelhos de medida, os quais indicaram durante várias horas leituras erradas.
A sua segurança - Aurora austral
Foto de uma aurora austral, tirada a partir da Estação Espacial Internacional, sobre o mar da Tasmânia
Fonte: Wikipedia
Na província de Quebec, no Canadá, a situação foi ainda pior. Devido às alterações que produzem no campo magnético da terra, as tempestades solares geram indiretamente correntes elétricas, que são induzidas em materiais condutores de grandes dimensões existentes no solo, como por exemplo as redes de distribuição elétrica ou os oleodutos. Foram essas correntes elétricas induzidas que fizeram disparar os sensíveis mecanismos de segurança nas centrais elétricas do Quebec. Em menos de 90 segundos, na madrugada de 13 de Março, cerca de 6 milhões de pessoas ficaram sem abastecimento de energia elétrica.

É fácil de perceber então que o maior risco para a sua segurança, não provém diretamente da tempestade geomagnética mas sim da sua consequência mais perigosa, ou seja, a elevada probabilidade de a mesma gerar um apagão longo e de grandes proporções. Recentemente, vários cientistas, entre eles o famoso Michio Kaku, têm vindo a alertar para a possibilidade de a espécie humana poder ter de enfrentar muito em breve um apagão a nível planetário, o que para a nossa sociedade totalmente dependente da tecnologia, poderia ter consequências catastróficas.

Consegue imaginar qual o impacto de um apagão prolongado na segurança das nossas vidas diárias? Tem noção de como hoje em dia dependemos da eletricidade para quase tudo?
Nova Iorque durante o apagão causado pelo furacão Sandy, em Outubro de 2012
© erin m / CC BY-NC 2.0
O apagão no Quebec durou em média, apenas 9 horas, mas as consequências desse curto período sem eletricidade, servem perfeitamente para compreender as graves consequências de um apagão mais prolongado.

Quando tudo começou, por volta das 02:45 da madrugada, a temperatura média nas principais cidades do Quebec era aproximadamente de -7ºC. Com a quebra dos equipamentos de aquecimento central, muitas pessoas despertaram na manhã seguinte em casas completamente geladas.

Em Montreal, a cidade mais importante do Quebec, com quase três milhões de habitantes, diversas escolas e estabelecimentos comerciais fecharam. O metropolitano não funcionou durante toda a manhã e até mesmo o aeroporto da cidade teve de encerrar, uma vez que os sistemas de radar e controlo de tráfego aéreo ficaram inoperacionais. Sem semáforos o trânsito também ficou caótico por toda a cidade. Diversas pessoas ficaram presas em elevadores, desde o início do apagão até ao fim do mesmo, o que ocorreu apenas por volta das 10:00 locais. Somente os hospitais, todos eles equipados com geradores de emergência, conseguiram evitar problemas mais significativos.

Você conseguiria manter a sua segurança e a da sua família durante um apagão de vários dias? Antes de responder, veja a seguir um pequeno resumo de tudo o que certamente iria acontecer:


  • Sem elevadores, milhares de pessoas idosas ou doentes ficariam impossibilitadas de saírem dos seus edifícios. Imagine por exemplos as pessoas que têm de fazer hemodiálise todos os dias.
  • Não seria possível levantar dinheiro nas caixas eletrônicas/caixas multibanco, pelo que caso não tivesse muito dinheiro consigo, o mesmo se esgotaria rapidamente.
  • O seu carro funcionaria enquanto tivesse combustível, mas e depois? Os postos de abastecimento dependem de bombas elétricas para bombear o combustível dos depósitos para o seu carro. Andar a pé seria rapidamente a única alternativa possível. 
  • Não seria possível ver televisão ou ouvir rádio, a não ser para as pessoas com aparelhos que funcionassem com baterias (o que é cada vez mais raro). Mas e se as próprias estações emissoras ficarem sem funcionar?
  • Não haveria acesso à Internet, e todos os telefones celulares/telemóveis deixariam de funcionar. Mesmo a maioria dos telefones fixos dependem hoje em dia de baterias e estão ligados a sistemas de cabo ou fibra óptica, que sem eletricidade, não funcionam. Como entraria em contato com os seu familiares e amigos?
  • O abastecimento de água potável também seria afetado. A maioria dos sistemas depende de bombas elétricas para transportar a água para os seus depósitos em locais elevados.
  • Sem transportes, as lojas rapidamente ficariam sem mantimentos.
  • De noite, sem luz, o crime aumentaria exponencialmente.

Como vê, a sua segurança ficaria rapidamente comprometida, por todos os fatores atrás expostos, bem como por muitos outros que você certamente já imaginou.

O que podemos então fazer para nos protegermos e aumentar a nossa segurança durante uma situação de apagão prolongado? Esse será o tema do meu próximo artigo.

Sem comentários:

Enviar um comentário